Sheraton Tribeca New York Review

E acelere! Nova York não para e, naturalmente quem está de férias na ilha também entra no ritmo.

O Booking.com oferece um link de Ofertas Relâmpago que no meu caso trouxe o Sheraton Tribeca como uma excelente opção a US$ 75 a diária. Coincidindo com um começo ou fim de viagem, vale a pena encarar essas ofertas, já que geralmente são para períodos curtos, segundo a recepcionista do Sheraton. Opções que saldam alguma disponibilidade que o hotel ainda tenha.

O apartamento era um King Standard, com cama king size, pra ninguém botar defeito. Qualidade de cama, carpete, banheiro, TV, amenities (shampoo, condionador, sabonete) padrão para essas redes executivas de hotel. Digo rede executiva pois percebe-se no lobby do hotel que a maioria que está hospedada é a negócios.

Da Canal Street você parte para o norte ou extremo sul da ilha. Estações do metrô estão a 2 quarteirões a leste ou a oeste do hotel. Linhas verde, azul e vermelha.

A internet no apartamento está disponível via cabo a US$ 10 por hora. A conexão WiFi grátis está disponível no lobby do hotel.

Numa simulação simples de quarta para quinta-feira em baixa temporada a tarifa da diária apresentada no site do Sheraton foi de US$ 231,87, já com os impostos. Vale a pesquisa para a sua próxima ida a NY.

Café da manhã é servido no piso principal e não está incluído na diária. No apartamento tem uma máquina de café com sachês da Starbucks, que tem um ponto de venda ao lado da recepção do hotel.

Se você busca um hotel diferentão, modernex e com opções dubalinas (it means: fora do comum, iguais as que se vê em Dubai) o Sheraton não é a opção.

Nas redondezas você encontrará Chinatown e Soho, bairros de comércio e de descolados, nessa sequência.

Esse é o Sheraton Tribeca. Cadastre-se na rede Starwoods e ganhe pontos. Quando acumulaaaaaados, você troca por diárias.

Sheraton Tribeca Hotel
at 370 Canal Street, Tribeca (veja a localização pelo Google Maps clicando aqui)
Estações de metrô bem próximas que atendem as linhas vermelha, azul, amarela e verde
www.starwoodhotels.com/sheraton/index.html

Royal Park Hotel & Hostel Review

Quanta insegurança ao reservar um hotel em Nova York quando se está buscando preço baixo. O Booking, dentre muitas ferramentas de pesquisa, foi meu melhor amigo. Encontrei um hotel de preço camarada, considerando as tarifas da huge Manhattan, e tive (estou tendo enquanto escrevo esse post) uma estada tranquila. Diria que a área social não é a das melhores. Recepção caidinha, elevador simplório (parente daqueles aviõezinhos teco-teco) e aquele clima de que quem está ali é justamente para dar as mãos e declarar: _quero vir pra NY e gastar pouco.

Pois bem o Royal Park Hotel and Hostel vai atender as suas expectativas. Com quartos e banheiros a se compartilhar ou não, fui na segunda alternativa. Reservei um apto com banheiro privativo. Suficiente para o propósito. Espaço bacana e ducha poderosa. Toalhas e lençóis são fornecidos, mas esqueça o café da manhã continental.

20110811-102825.jpg

Condicionar de ar, ventilador de teto, TV de plasma fazem parte do apto.

20110811-103528.jpg

20110811-103650.jpg

Tarifas que variam para os dias da semana e para os finais de semana, você não pagará mais que USD 179/dia para um quarto duplo. Aprovado.

Royal Park Hotel & Hostel
at W 97th Street Upper West Side
Estação de metrô na rua de baixo, 96th Street
http://www.royalparkhotelnyc.com
+1 212 665 7434

B-month pro BrasiLéo

E começa o terceiro ano de vida do BrasiLéo.

Torcendo para que esse novo período seja positivo para todas as pessoas que amam viajar. Descasando ou trabalhando, viver momentos sob um chão que não é o nosso, nos mostrando e nos acrescentando experiências próprias ou dos amigos.

Ciao! Prego! Alora!

 Deixe sua impressões na caixa de comentários e voalá!

🙂

BlogTur 2011

É nessa que eu vou!

O portal Trilhas e Aventuras em parceria com a Loumar Turismo, Hotel Bella Itália Foz e a Gol Linhas Aéreas está promovendo o primeiro encontro de Trilhas e Aventuras de Blogs de Turismo que acontecerá em Foz do Iguaçú de 10 a 14 de agosto de 2011.

Here we go!

Não é mera coincidência e sim o lado bom da minha não tão feliz história de férias que vem chegando. Estava com uma viagem programada para Chicago, saindo de São Paulo em 12 de setembro e voltando em 20 do mesmo mês. Acaso da demanda do trabalho, precisei antecipar as férias em 1 mês para estar na labuta em setembro. Na remarcação do bilhete, advinhe… não havia disponibilidade para a mesma classe de bonificação, já que emiti com milhas. Precisaria encarar os 60 mil pontos a mais para embarcar, já que a única disponibilidade era na classe executiva. Sendo com um serviço diferenciado ou não, não dá pra queimar isso numa remarcação, concorda? Lá vou eu pedir reembolso, pagar 4 mil milhas de multa e mudar a programação.

Agora sim coincidência, lá vou eu me unir a esse grupo bacana selecionado para participar de programações em Foz do Iguaçú. Ok, explicando melhor, por meio desse post passo a participar do Concurso Cultural, que vai levar o décimo quarto blogueiro para Foz.

Crossing fingers espero participar desse evento que vai agitar o meio da blogagem turística.

Vejo você em posts, twittes e fotos no Facebook e Flickr.

 – para conhecer os demais blogueiros participantes desse evento clique aqui.

PhotoLéo: Lençóis Maranhenses

Ah, os Lençóis! Te envolvem, te prendem, fazem você perder calorias!
 
Eu deveria começar mostrando Barreirinhas, cidade base para quem vai visitar o Parque Estadual dos Lençóis Maranheneses, mas não tem como não começar com tantas imagens dignas de “Add to Favorites”.

Depois de 1 hora sacudindo por uma estrada de areia e sem soltar a mão do PQP da 4X4, uma discreta subida fortalece as pernas e...

Aí estão as "magniíficas-quão-magníficas" dunas!

De agosto a setembro o parque recebe muitos turistas, que procuram as lagoas nas melhores performances: cheias!

Roupas leves, protetor solar, chapéu, lenço, câmera fotográfica. E keep walking...haja panturrilha!

O basicão é dividir o passeio em 2 dias. As pousadas locais indicam os guias credenciados. As lagoas perenes são a sensação. Proteja tudo da areia e do vento se jogue. A areia que entrar na sunga, depois você tira no banho. Rá!Aquela areia rasteira que o vento leva garante uma caminhada sem queimaduras na sola do pé. Chinelo? Eu preferi um par de Crocs. De boa na lagoa!

Os grupos normalmente chegam para o passeio no começo da tarde e vão até o por do sol, que quase pode ser alcançado com as mãos.

Entre poses, fotos manjadas e um cenário sephia, as dunas se fazem e desfazem.

É incrível!

 

Clique em cada foto! Salve como plano de fundo enquanto você não confere ao vivo e a cores, ou melhor, em sephia.😉

PhotoLéo: São Luis/MA

Para 3 dias em São Luis, fiz muitas fotos. Vinícius Raupp, do Inquietos, e eu rodamos o centro histórico num calor escaldante de quase 40 graus para visitar museus, conhecer prédios, praças e o doce, quão doce, guaraná Jesus. A capital maranhense fica impressa aqui, em fotos.
 
Palácio dos Leões – Governo do Estado

 

Galeria das Mercês – piso superior guarda presentes que o Sarney ganhou ao longo de toda a sua carreira política.

Museu da Arte Popular - Festa do Bumba-meu-boi, desde o século XVIII, Festa do Divino Espírito Santo, História das Casas das Minas estão por todos os cômodos do prédio tombado como patrimônio histórico.

Construção em mau estado de conservação. Segundo moradores, com a caçassão do último governador a manutenção do Centro Histórico ficou totalmente comprometida. É o que o povo sente.

Entre ruas e vielas, prédios são ocupados pelo comércio, pelo Estado e por pessoas que não tem casa. Fique assustado ao ver roupas, toalhas e cuecas estendidas nas sacadas e portas dos prédios abandonados.

O SENAC tem um restaurante aberto ao público. A conservação do prédio garante alívio de que alguém pensou na manutenção da história.

Quando a maré está baixa, toda a água escoa para o mar. A vista é da parte mais nova da cidade, ligada por uma ponte ao Centro Histórico.

Arte maranhense. Cores onde grande parte já perdeu o viço.

Olha ele: no Maranhão não foi a água que foi transformada em vinho e sim um xarope em refrigerante. Propriedade da Coca-Cola hoje o Guaraná Jesus é um dos mais vendidos no estado. Doce, rosa e refrescante. O ornamento da foto é garantido pela Dona Vanda, a dona do bar e promoter do santo.

Arte portuguesa, esses azulejos revestem fachadas de prédios. Nas lojas você pode comprar réplicas tão lindas quanto.

 Sendo honesto gostei muito da cidade, mas sendo mais honesto ainda tanta beleza é comprometida quando você espera por qualidade no serviço ao turista. Nos próximos posts trago a saga por um bom hotel e pela busca de um bom peixe na brasa. Encontramos, mas foi difícil.

Magic Kingdom e Hollywood Studios

Viajar para Orlando no mês de outubro significa: temperatura por volta de 23 graus, pouco movimento nas rodovias e preços baixos para a acomodação. Não passará pela sua cabeça a preocupação em chegar cedo nos parques para estacionar o carro mais próximo, em conseguir encarar todos as atrações ou em caminhar contra a muvuca de turistas e seus Crocs. Caso queira passar a semana, alugue uma casa em Orlando e encare a máquina de lavar roupas.

Por que tudo isso? Porque é baixa temporada ou porque você é um esperto e odeia ficar em filas. A criançada não está em férias, seja no Brasil, seja na Europa. Você sim está e na boa, sem preocupação com FAST-PASS (que te dá a chance de marcar horário para aproveitar uma atração sem enfrentar fila quando o parque está bombando), sem derreter à sombra em função do calorão de julho e entrando e saindo das atrações quantas vezes achar que não foi suficiente ver a pelúcia perfeita dos personagens que autografam os caderninhos vendidos nas lojinhas das saídas dos brinquedos.

Conseguimos aproveitar o Hollywood Studios e o Magic Kingdom num dia só e nessa ordem.

Partindo do Magic Kingdom com um ônibus do próprio complexo de parques rodamos 40 minutos e desembarcamos no Hollywood Studios.

Entrando no parque, pegue a esquerda na Sunset Boulevard e confira o show de horror.

O objetivo principal era subir e descer o antigo elevador, The Twilight Zone Tower of Terror. A barriga gela na descida, tenha você 1,92 metro de altura ou 102 cm, altura mínima para entrar na atração. Na sequência a montanha russa Rock ‘n’ Roller Coaster com direito a um vídeo do Aerosmith foi também o motivo em conhecer o parque. Virtualmente recepcionados pela banda, loopings e quedas são enfrentadas no escuro enquanto o som da banda bomba no seu ouvido.

Manobras de ponta cabeça e paradas inesperadas. Starring Aerosmith.

 Um giro pelo parque para conhecer as lojinhas ou para ver detalhes das produções de Toy Story, Crônicas de Nárnia ou American Idol completam o tempo da manhã por ali.

De volta ao Magic Kingdom com carrossel, princesas e seus delicados movimentos de “ah, que surpresa você por aqui” te encantam nas paradas que acontecem com hora marcada, que devem ser conferidas na chegada ao parque.

Espere o ônibus de volta ao Magic Kingdom no Ponto 11.

Adulto aproveita pouco, ainda que a atração dos Piratas do Caribe convençam que o Johnny Depp está ali. As más línguas dizem que eu fiquei com medo na montanha russa do Pateta, que aceita crianças a partir de 89 cm de altura. Não me lembro.😛

Pelúcias e chaveiros. De $10 a muitos dólares.

Ao meu ver o Magic Kingdom tem que ser visitado obrigatoriamente. É o que resume o clima infantil e apresenta o show de fogos de artifício Wishes, que de fato ilumina toda a praça onde as pessoas se reunem no final do dia para assistir a Sininho voar pela torre.

Um rato que come ovo. Esse é o Mickey Mouse.

Mapas das atrações estão disponíveis na entrada dos parques, e em português.

Ticket/Ingresso/Bilhete: compramos 1 que dava direito a entrar nos 2 parques. Quase US$ 100 pelo site do próprio parque. Acredite, funciona.


Siga-me no Twitter