Archive for the 'São Paulo' Category

Restaurant Week – comer bem sempre na moda

Acontece desde 01/03 e vai até 14/03 os dias de prazer máximo de quem aprecia a boa gastronomia. Salvos os muitos conceitos do que de fato significar “comer bem”, a São Paulo Restaurant Week dá a chance de apreciar e conhecer os restaurantes que estão associados nessa temporada do primeiro semestre de 2010. São 200 casas com suas especialidades oferencendo entrada, prato principal e sobremesa por R$ 27,50 no almoço e R$ 39 no jantar (sem bebidas e taxas). Saiba você que esses preços estão abaixo do que o paddrão desses restaurantes significam.

Apostei no Shimo, casa de gastronomia nipo-peruana, no Jardim Europa. Acompanhado da @gifrasson iniciamos com finas fatias de pescado com ají de manga verde e broto de feijão.

Tiradito: marinado

Para o prato principal fomos, ela de peixe grelhado com mel e gergelim, com purê de batata e mandioca com ají amarillo, e eu de sushis que levavam salmão, acelga (não torça o nariz 🙂 ), caviar de beringela e muito capricho.

Caprichado, não?

Você curte gengibre?

Por mais que o “arroz de festa” dos cardápios, o petit gâteau, possa cismar a nossa crítica gastronômica Constance Escobar, juramos de pés juntos que esse do Shimo foi digno de ser mandado pra dentro sem pestanejar. O “bolinho” estava com textura de brownie, sabe como? Ah, e o sorvete não é Freddo, dos nossos hermanos argentinos, mas é de laranja e bem saboroso.

#ôentendidodegastronomia

O que importa é que a Restaurant Week nasceu há 17 anos em Nova York e está se espalhando pelo mundo. Aqui no Brasil, em 2010, acontece em SP e Vitória (01 a 14/03), Rio (10/05), Recife (15 a 30/03) e Brasília (data não anunciada).

Já tenho uma indicação para essa semana, o Casinha de Monet, em Pinheiros. Acho que meu almoço na quinta-feira será lá. Topa? Programe-se também para curtir alguma dessas opções no final de semana. Antes faça sua reserva porque estão disputados.

Shimo

Rua Jerônimo da Veiga, 74 – Jardim Europa

Telefone: (11) 3167-2222

😉

Morumbi Tour

Ajoelharam-se e reconheceram que aquele era o templo sagrado!   

Essa foi a reação de todos que adentravam e deparavam-se com a grandiosidade do Morumbi, estádio do São Paulo Futebol Clube. Celeiro de mestres do futebol brasileiro. Palco de glórias de um time sólido. Casa de títulos e conquistas nacionais e internacionais. Há quem diga dos deslizes e excessos, mas, que fique claro: não sou eu que estou falando, hein? Risos.   

Bola rolando...

Estávamos ali para o Morumbi Tour. Uma programação que o clube oferece para todos que querem conhecer o estádio Cícero Pompeu de Toledo – Morumbi – e suas dependências.  Uma visita guiada que leva as pessoas ao vestiário, ao espaço de aquecimento,  à sala da imprensa, ao túnel que leva para o gramado onde a bola corre no mínimo 45 minutos de cada tempo. Majestoso!   

Camarim, ou melhor, vestiário...huahua

Crédito: SPFC Website

Ao redor do gramado...

Morumbi Tour

Detalhes de preços e horário de visitação para grupos: (11) 3749-8070.

 

O espaço Concept Hall, também no estádio, é para entretenimento daqueles que querem conhecer mais sobre o time. Nele, visitamos o primeiro bar temático brasileiro, o Santo Paulo Bar. Pasteizinhos tricolores, bolinhos de arroz, de mandioquinha e batatinha frita fazem a alegria de quem quer assistir aos jogos de camarote. Pratos a la carte, incluindo feijoada também são servidos. Ah, bebidas, claro.  

Privilégios para assistir aos jogos...

Show de la pelota...

Daqui, você assiste ao jogo...

...sob esse ângulo. Atrás do gol? Humpf!

 Santo Paulo Bar

Funcionamento: de quarta a domingo, a partir das 12h.

 

Complementando a vibe dos concepts está a Reebok Concept Store. Uniformes do time, toalhas, canecas e outros apetrechos para os torcedores e colecionadores. Diversão para quem pode.

Vai uma camisetinha aí? Básico, bô!

Retrô, moderno e vários outros estilos.

 Reebok Concept Store

Funcionamento: Segunda a Sábado, das 9h às 18h e Domingos e Feriados, das 10h às 16h. Em dias de jogos a loja fecha 2 horas antes do início da partida.

Percebemos um atendimento de qualidade. O staff é dedicado em saber se você está sendo bem servido. Parabéns aos organizadores. Show de bola!

Salve o tricolor paulista!

Ritz, rápido mas com dedicação

Como você não conhece o Ritz, da Jerônimo da Veiga, no Itaim?!? É ele um dos restaurantes estrelados do Guia Brasil Quatro Rodas 2010 que eu falei no último post. Bom, para estar no GB é porque o restaurante foi testado e aprovado pela equipe que avalia e confere a estrela ou não. Esse merece uma constelação!

Lugar de gente descolada, de famílias e de pessoas como nós. Deu na telha de que quer comer bem, não se importando de estar sozinho ou acompanhado, conheça a estrutura do restaurante de comida rápida, que é bem bacana, o atendimento, que é zás-trás e o cardápio, literalmente recheado de boas opções. Massinhas, peixes, pastéis, lanches…

Mr. Arrumadinho...

Mr. Arrumadinho...

Escolhi sentar no sofá e começar pelo tradicional do lugar: bolinhos de arroz. Era bom. Igual o da minha mãe. Huuum…ah, tinha um molhinho, mas esqueci de perguntar do que era. Parecia cidra! Diliça!

Meia porção. Nossa, comi tudo!

Meia porção. Nossa, comi tudo!

...Para todas as outras, existe Master Card!

...Para todas as outras, existe Master Card!

Claro que tinha espaço para o prato pricipal: Ritz Burger – 200gr de carne com queijo cheddar ou gorgonzola, salada, maionese e panceta. Panceta?? _Amigo, essa panceta vem como? Junto com o hamburger? Caramba, desconfiei da resposta do garçom, mas acredite, a dita cuja era boa. Crocante e um pouco apimentada. Comi de joelhos! Brincadeira! Sou muito grande para ficar fazendo chacrinha no restaurantes dos outros…kkk.

Mix de folhas, tomate cereja e azeite: talvez o corpo não, mas a cara fica mais light, vai?!

Mix de folhas, tomate cereja e azeite: talvez o corpo não, mas a cara fica mais light, vai?!

Ai que vontade!

Ai que vontade!

A sobremesa eu dispensei, mas o cafezinho Nespresso (digno de um post só sobre ele e seus blends) não. Fechou com chave de ouro.
Depois de 2 horas aproveitando de tudo isso e navegando na net pelo Wi-Fi disponível no Ritz, pedi a conta, R$ 57, e vim para casa…só pensanso nisso tudo que Deus tem me dado…amazing!
PS: a gente podia repetir a dose na Forneria San Paolo, não? Ou no The Fifties?

Guia Brasil Quatro Rodas 2010

Eu curtia a seção de revistas da Fnac, no bairro Pinheiros, aqui em Sampa e, claro que minha atenção, como sempre, estava direcionada para os títulos sobre Turismo. Dentre revistas como Condé Nast Traveller, Lonely Planet (comprei a edição de outubro) e Viagem e Turismo (a desse mês está recheada de matérias boas) estava o recém publicado Guia Brasil Quatro Rodas 2010 (GB 2010).

Aclamado, salve, salve!!

Aclamado, salve, salve!!

Esse guia é meu fiel companheiro de viagens. Cheio de anotações, páginas marcadas e post-it, consulto sempre que preciso decidir sobre destinos turísticos, hotéis e restaurantes. Há quem diga que já se deu mal seguindo alguma indicação dele, mas eu, não. Sucesso é sempre garantido. Clique aqui para conhecer a versão on-line, ou passe em uma banca e compre o seu. R$ 39,99. É show!

Eu gosto das versões on-line dessas publicações mas ter todas essas informações impressas deixam qualquer viagem ou pesquisa com um gostinho especial. Rabiscos, amassos, desamassos o tornam mais legal ainda, com cara de livro que foi aproveitado, e muito!

Um dos vários restaurantes estrelados que o guia traz estará aqui no próximo post. Se você está no Twitter, sabe qual será. Amanhã.

Museu do Futebol – show de bola!

Fan-tás-ti-co! Literalmente um Show de bola!

Pacaembu

Pacaembu

Há 2 sábados estive no Museu do Futebol, no Pacaembu. Uma mega exposição de toda a história do futebol, aqui, no Brasil, país onde o Rei nasceu, vive e dá as boas vindas em 3 idiomas, logo na entrada do museu. O Rei Pelé, em uma tela plana, convida a todos para conhecer, aprender e desfrutar da arte com a qual o brasileiro tem grande habilidade.

Compre seu ticket e surpreenda-se

Compre seu ticket e surpreenda-se

A idéia do projeto, criado pelo arquiteto Mauro Munhoz, com museografia de Daniela Thomas e Felipe Tassara, é fazer com que o visitante “viva” o futebol brasileiro por meio de três eixos: emoção, história e diversão, distribuídos em uma área de 6,9 mil metros quadrados. Fonte: Globo.com

Bem vindo! Bienvenido! Welcome!

Bem vindo! Bienvenido! Welcome!

Fiquei muito feliz em saber que mais de 370 mil visitantes já passaram pelo Museu do Futebol nesse primeiro ano de vida do museu. Cultura e arte disponíveis para quem quiser e puder pagar os R$ 6 ou R$ 3 (meia entrada). 

Logo de cara apresenta em um mega painel várias camisas dos clubes brasileiros, sejam eles pequenos, como o de Itararé/SP, ou gigantes e aclamados como São Paulo, São Paulo, São Paulo…risos! (tudo fachada. Não torço para time nenhum, não sei nome de jogador e só falo que torço para o São Paulo para não ficar feio e sem time…risos. Torço para o Brasil, glupt!).

Rivaldo, com seu famoso voleio, Bebeto balançando seu bebê parecem ter vida quando projetados nos telões em 3D suspensos no meio de uma sala. Surpreendente!

Mais a frente tem uma cabines para você escolher os lançes que quer rever, bem como ouvir os comentários de jogadas e partidas memoráveis. Coisa fina!

Futebol interativo com reconhecimento de movimento e projeção de campo de futebol no chão é uma atração a parte. Você chuta a bola virtual e quando faz gol, tem comemoraçao, também virtual. Que loucura!

Agora, o que me chamou muito a atenção foi a torcida projetada na parte de baixo da arquibancada do estádio. Imagem de torcedores e bandeiras e todos os apetrechos utilizados pelos torcedores em uma partida de futebol, com aquele som ensurdecedor. Me senti em um clássico football match! Amazing!

De uma maneira geral, o Museu do Futebol é muito interessante. Eu gostei demais!

Quem vem a São Paulo a passeio, a negócios ou o que for, deve marcar presença no Pacaembu e conferir essas riquezas apresentadas por meio de fotos, relatos, gravações e curiosidades. A linha do tempo do futebol está associada a linha do tempo do mundo. É possível entender todas as fases dessa arte e voltar para a casa preenchido de conhecimento sobre o nosso patrimônio cultural, o nosso futebol.

Serviço: Museu do Futebol

Local: Estádio do Pacaembu, Zona Oeste de SP

Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h, exceto em dias de jogo (a agenda de jogos ficará disponível no site do museu)

 Preço: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (para estudante). Crianças até 7 anos e idosos, a partir de 65 anos, não pagam

Ôla!

Empório Ravioli – em uma tarde de sábado

Claro que quem mora em São Paulo procura escapes aos finais de semana! Seja para sair da rotina ou para simplesmente esquecer da semana que tanto nos mantém ocupados. Eu pelo menos sou assim. Enquanto em casa pesquiso na net, leio, escrevo ou, na maioria das vezes, pratico o ócio, isto é, faço “nadica de nada”. Confesso que é minha atividade preferida! Ou será que ultimamente tem sido procurar um restaurante que ainda não conheço e fazer desse o meu escape? Hum, acho que isso tem sido mais frequente. Ainda bem. Só assim pude conhecer o Empório Ravioli. Já o citei no meu último post. Lembra? Não? Então clique aqui e atualize-se.

Por que escever novamente sobre ele? Porque eu estava acompanhado e quero simplesmente e sem delongas postar as fotos do restaurante, do couver, e dos pratos que Dani, amiga e Gu, irmão pediram, na ocasião. Uma loucura!

Empório Ravioli - esquina da Fidêncio com a Ramos, na Vila Olímpia.

Empório Ravioli - esquina da Fidêncio Ramos com a Ramos Batista, na Vila Olímpia.

Um restaurante muito lindo e aconchegante. Escolha entre ficar na varanda ou no espaço comum do restaurante. Será atendido com a mesma dedicação e qualidade.
Bom de se ver...

Bom de se ver...

Com suas muitas garrafas de vinho penduradas no teto, decorando o ambiente, e outras para serem utilizadas na harmonização dos pratos, o restaurante me lembra um pouco uma armazém, uma mercearia de luxo, sei lá. Algo bom e prazeroso de se aproveitar.
Mise-en-place: milimetricamente arrumado

Mise-en-place: milimetricamente arrumado

Couvert, vulga “entradinha”, de torradas com azeite e manteiga…putz! Enchi a barriga disso! Risos! Simprão do interior gosta de comer pão torrado.
Começando bem...

Couvert: começando bem...

 Um bom vinho selecionado pelo maître, afirmando que a casa não havia vinhos tão suaves como o que a Dani queria apreciar, foi excelente para abrir o nosso paladar. Podemos todos dizer em alto e bom som: _o vinho era demais! Da uva Carmenerè, era chileno e da safra de 2007. Um Terra Andina, digno de ser tomado de guti-guti. Mas não dá, a galera aqui não bebe nada e não abusa.

Surpresinha a seguir...

Escorregão 1: a minha taça estava suja de sabão e o maître já havia me servido. Ele trocou a taça e virou o vinho de uma para a outra. Você acha isso certo?

 E o festival de obras-primas começa.

Direto da cozinha, escolhido pela digníssima Dani: Risoto Orto e Mare Camarões, vongole (um molusco), abobrinha e alcachofras. Que? É! Tudo isso mesmo, junto no mesmo prato. Ma-ra-vi-lho-so!

Prepare-se porque a "pegada" é forte. Dani não conseguiu comer tudo. É muita comida!

Prepare-se porque a "pegada" é forte. Dani não conseguiu comer tudo. É muita comida!

 Direto da cozinha, escolhido pelo digníssimo Gu, Lugs, Lugão, Guguzinho, Guuuuu – ele atende por todos esses apelidos: Gnocchi al Vero Ragú Bolognese com funghi secchi. Okay: nhoque com molho a bolonhesa, mas muito, muito bem preparado e saboroso e delicioso e maravilhoso e todos os “osos” que existirem para exaltar um prato gostoso! O Gu se matou! 

Nooosssa....show de bolas, bolinhas, gnocchi!

Nooosssa....show de bolas, bolinhas. Nhoc!

O meu prato foi o da Boa Lembrança, lembra? Era maravilhoso também. Tinha ovo caipira no meio. Mais um indício de “pé de barro” que sou. Risos. Levamos um tempo para apreciar toda essa comida.

Entre risadas e sabores, chegou a vez da sobremesa.

Eu: Tiramisú com mascarpone (queijo) italiano. Tipo um pavê que na verdade é “pá cumê”.

Nossa! Inenarrável!!!

Nossa! Inenarrável!!!

Gu: torta e sorvete chique no último. Sorry, esqueci de anotar o nome dessa sobremesa dele.
A louca da Dani fez um chifre ali com a mão...kkk

A louca da Dani fez um chifre ali com a mão...kkk

Dani: “A Coisa”! Risos….estou rindo até agora. O garçom chamou a sobremesa dela de “A Coisa”…kkk. kkkk… Gente do céu, uma sobremesa super refinada com ingredientes exclusivos e o garçon me solta uma dessas: _ah, a sobremesa da senhora é aquela, aquela uma, tsc, “A Coisa”, estalando os dedos tentando lembrar o nome dificílimo da sobremesa. Tudo bem, perdoado pelo capricho e qualidade.
"A Coisa" com brownie e chantilly.

Escorregão 2: com vocês, "A Coisa", com brownie e chantilly.

Aproveitamos muito aquela tarde. Ficamos horas conversando e dando risadas já pensando qual será o próximo restaurante que iremos visitar. Alguma sugestão?
😉 

Siga-me no Twitter

Erro: Twitter não está a responder. Por favor espere alguns minutos e recarregue esta página.