Archive Page 2

Aniversário do blog – versão 2.0

É com imenso prazer que digo: _Obrigado pela sua companhia! Há um ano que retomei as publicações no blog e que tenho dividido com você as minhas memórias, traduzidas em dicas, imagens e sensações. A decisão do destino da viagem, do restaurante, do museu também vem de você, do seu amigo e das experiências que outros viajantes publicam em seus blogs e sites, indicados aqui ao lado, no blogroll. 

Parque Villa Lobos - SP... Num sábado pela manhã

 

Foram meses de aplicação e pesquisa, estudo e tentativa de se ter o melhor roteiro para curtir o por do sol mais dourado, a maré baixa com a extra-transparência, se isso existir, e a época de menor fila nos surreais parques de diversão – Disney (esses posts estão pra sair do forno). 

Foram 31 postagens entre viagens nacionais e internacionais, visitadas, comentadas e desejadas nas mais de 12 mil visitações. Esse é sim o meu momento Tássia, “tá se achando”, e me sinto feliz, ainda que esses números sejam modestos quando comparados com os grandes blogs e sites de referência, que com os seus devidos papéis, dão o norte ao blogueiro e aprendiz aqui. Ainda assim, um editor de um grande portal me disse que os 15% de crescimento ao mês na visitação do blog é um número consistente, refletindo que o blogueiro é bom e o assunto, interessante. 🙂 

Ele parou por 1 segundo. Crazy for a nut!

 

Reconhecimento não só por meio das suas palavras nas caixas de comentários mas também pelas 2 publicações na revista Viagem e Turismo, da editora Abril. Uma revista de grande expressão no meio, com uma equipe bacana de profissionais, que dentre matérias sobre África, Itália, Estados Unidos, abordou também Bahia e Ceará que foi por onde eu entrei e espalhei meus pés. (o Ceará está na edição desse mês, julho/2010, que já está nas bancas e no site Viaje Aqui). 

"O outro lado de Porto Seguro" integrou essa mega matéria na edição de fev/2010

 

Ceará como matéria da edição de jul/2010. Fonte: Viaje Aqui

 

"Ufa, perdi o fôlego" deslumbrante Ceará, na edição de jul/2010

 

Fazer parte também da comunidade mais antenada e linkada pelo Viaje na Viagem, do mestre Ricardo Freire, dá a segurança de que o GPS está traçando a rota correta. O alvo a conhecer outras culturas e hábitos, sejam em roteiros roots ou sofisticados, fora do circuito turistão, foi acertado. 

Dois obrigados especiais: o primeiro para o artista responsável pelo cabeçalho do BrasiLéo, o Fernando Mattei, que merece uma salva de palmas pela criatividade e precisão nos traços baseados na arte de rua nova iorquina. Se você não me conhece pessoalmente, acredite, esse cara aí de cima magro, alto, bonito e sensual, sou eu. 😛 O segundo obrigado vai para o meu personal marketing manager Henrique Matos, que sempre me ajudou a pensar no jeitinho BrasiLéo de ser. 

o|o|/o/

 

Esse foi o primeiro post de aniversário dos muitos outros que virão contando sobre minhas viagens, que nunca mais foram as mesmas desde que você passou a viajar comigo. Aproveite. 

Tks.

Comer-comer ao melhor estilo portenho

Depois de um dia andando feito mula de padeiro atrás das promoções em Buenos Aires (brasileiro é dose), resolvemos jantar. Mas cadê o bendito restaurante de comida oriental? Perguntamos e um hermano informou que o restaurante havia se mudado dali.

Vamos voltar pro albergue, deixar nossas coisas e depois a gente põe o plano B em ação, pensamos. Que nada, pois eis que um portal de madeira se abre e uma hostess sorri. Freada brusca. Pergunta rápida. _Aqui é um restaurante? _Mesa disponível? (olhar do gatinho do Shrek). A danada responde que não há disponibilidade pois é um restaurante que só trabalha com reservas antecipadas e blá. Mas não é que uma outra santa sai de lá de dentro e diz que: _Sim, temos mesa.

Disfarçado de casarão. Por um acaso. Crédito: Site Astrid&Gastón

Sem saber, conhecer e por uma boa dose de sorte divina, a partir daquele momento entramos no Astrid&Gastón, restaurante do renomado chef Gastón Acurio. Apresentando a gastronomia peruana ele conquistando seu espaço e se multiplicando em outras especialidades entre Peru, Chile, Colômbia, Equador, Venezuela, Espanha, México, Agentina. Aqui em São Paulo ele abriu uma sucursal do La Mar (serve principalmente ceviches).

Sente o cheiro do laquê? Crédito: Site Astrid&Gastón

Conseguiu captar a mensagem?

Gente, desde a entrada com pães e grissinis feitos ali até o adeus, um serviço impecável com uma apresentação do cardápio, dos ceviches e tiraditos, das ostras e peixes, dos risotos e das bebidas. Glorioso! A Constance Escobar fez um post sobre o Astrid&Gastón no site dela, o Pra Quem Quiser Me Visitar. Clique aqui e delicie-se com as fotos e comentários. Especialista só faz mais vontade pra gente.

Outra opção boa, essa barata, é o El Desnível, restaurante que fica em San Telmo. Massas, parrilla, chorizo. Pratos para 4 pessoas e serviço a desejar, já que o garçom reclama da propina = gorjeta. Achou pouco. Ah vá.

Pagando pouco ou muito, sinta-se como um argentino: coma e beba bem no luxo, ou aproveite das pechinchas e ganhe tempo rodando entre a Casa Rosada, o La Bombonera, a avenida Córdoba, El Caminito, Puerto Madero (com excelentes restaurantes também).

Astrid&Gastón
Lafinur, 3222 – Palermo

Reservas: + (54) (11) 4802 2991
Preço: $$$

 El Desnível
Calle Defensa, 855 – San Telmo

Contato: +(54) (11) 4300 9081
Preço: $

Especial: Pousada Patacho na Condé Nast Johansens

É com prazer que escrevo esse post especial!

A aconchegante Pousada Patacho, no norte de Alagoas, foi reconhecida pelo guia de viagem Condé Nast Johansens atendendo a critérios de seleção que englobam serviços de qualidade, exclusividade e luxo. O Condé Nast Johansens iniciou sua atividade na França e é irmão das revistas Vogue, Condé Nast Traveler, Vanity Fair e de outras desse mundo abastado.

Acomode-se

Por se enquadrar nesses itens, que na minha opinião garantem a satisfação e a experiência – valores máximo, e também esbanjar carisma, a Pousada Patacho passa a fazer parte desse seleto grupo de hotéis e restaurantes espalhados por mais de 50 países. Será a menor pousada a compor essa lista de grandiosos nomes da hotelaria internacional.

Eu avisei a você que o Christian, francês proprietário, tinha caprichado. Estar no Condé Nast Johansens não é pra qualquer um.

Reveja o post e as muitas fotos da Pousada Patacho clicando aqui.

Aproveite!

🙂

O ato e o efeito de viajar

Há algum tempo, quando o fim do ano chegava, eu fazia uma rápida relação entre férias e viagem em família. Via em nós 5 um sentimento de euforia e agitação. Os próximos dias me trariam recompensas de um ano vivido com responsabilidade e obediência. O meu meio seria exatamente o mar e a casa alugada próxima a ele, isto é, na areia, jogando frescobol, tomando um picolé e me lambuzando de protetor solar.

A expectativa de estar num lugar desconhecido despertava a vontade de me inserir em um mundo que não era o meu trivial, aquele dentro das normas sociais e de atividades que formavam o meu caráter e definiam as minhas preferências.

Esse momento de preparação me empolgava na montagem das malas, frasqueiras e bolsas. Colocava a sunga nova, a bermuda, a camiseta branca, o tênis e o chinelo. Tinha que estar bem arrumado e com uma aparência que garantisse a fama de turista. Seria um tempo para viver experiências novas e depois contar para os amigos, quando retornasse.

Atitude inconsciente? Sim, nada que fizesse pré, durante ou pós viagem era por mim planejado, pensado ou colocado em ação para garantir o sucesso da “operação viagem”. A simples sensação de acordar numa cidade onde eu não tinha horário para nada a não ser o de sair para a praia com o “sol bom” e voltar quando ele ainda não tivesse se transformado em vilão, tornava-me como um discreto hóspede da suíte presidencial do Four Seasons, na 57th Street de Nova York, cliente esse que reserva, desfruta e registra na memória as boas lembranças. Invisível. Vivendo o mundo dele.

Voltar os olhos e refletir não me impedem de conhecer o novo, pelo contrário, me fazem ver que hoje quando descubro um hotel com vista para o parque ou uma pousada pé-na-areia, me satisfaço da mesma maneira, aproveitando sensações que nunca vivi.

Hoje aguardar pelos feriados, férias ou que seja o próximo final de semana de viagem, me empolga no mesmo nível que antes, porém não é somente um período em que eu conto para os meus amigos a parte boa das pegadinhas da última aventura. É mais do que isso. É um tempo de pesquisa, coleta de opiniões de quem já viajou para o meu próximo destino, discussões de conceitos e benefícios que outros viajantes trocam comigo.

A família não mais viaja completa todas as vezes, mas a esse ciclo contínuo nas fases de pesquisar, usufruir e curtir os efeitos da experiência, já me levam antecipadamente para os destinos que são o hit do momento.

É ver possibilidade em tudo. É reconhecer uma marca invisível, mas que complementa e se equivale ao grande valor dos objetos de desejo atuais. Esse passa a ser efeito sustentável de uma viagem, que se torna impagável.

Conhecer novos lugares, novas pessoas, culturas e tendências. Descansar a mente fugindo do caos. Evoluir nas ideias e planos. É ter a criatividade estimulada, os projetos redefinidos. Vontade de viajar mais.

Talvez um argumento para a ciência cognitiva. É viciante. Prazeroso. Desperta os sentidos.

Cemitério da Recoleta

Pode parecer estranho para quem nunca visitou, mas cemitérios são rota dos viajandões do mundo. Mausoléus, estátuas, cerâmicas e peças de metal compõem um cenário que atrai muita gente apaixonada por história, arte e curiosidades.

Não diferente, o Cemitério da Recoleta, em Buenos Aires, inaugurado em 1822, abriga personalidades do país dos hermanos e oferece visitas monitoradas para quem se interessar mais do que simplesmente ver a tumba da Eva Perón, para os íntimos Evita.

Entre e sinta-se em casa...

As famílias que tem condição, interesse, cuidado ou algum apreço pelos familiares que passaram dessa para melhor, cuidam dos mausoléus, deixando-os apresentáveis para quem se dispõe a andar pelos quase quatro quarteirões de cemitério. Mas como assim apresentáveis, chico? Sim, isso mesmo! Quem passa por ali vê tudo. O caixão, as flores, porta-retratos dos finados, sejam sozinhos ou em cenas familiares antes do pass away.

Agora, aos que não podem, não tem interesse tãopouco cuidado ou considereção, deixam os túmulos um horror. Eu me assutei ao ver que a ação do tempo, chuva, talvez um pouco de vandalismo, tornam a situação lamentável, ou até um pouco sombria!

Tem alguém aí? Búúúú...

Nosotros vivimos...

Tolinhos, no me gusta vivir aquí

Enfim, se lhe interessa vá a Recoleta, conheça o cemitério e depois curta a tarde do bairro, que tem vida independente!

Cemitério da Recoleta

Endereço: Junín 1760, Recoleta
As visitas guiadas podem ser agendadas pelo +54 (11) 4803-1594 e lhe custarão poquitos pesos.

Sensação de Buenos Aires – hospedagem

Com uma programação enxuta, irmão, primo, amigos e eu estivemos em Buenos Aires. Em um feriado prolongado cacifamos um voo da Lan e desembarcamos no aeroporto de Ezeiza. Um taxi, caindo aos pedaços – gente que frota antiga que Buenos Aires tem 😦 – nos levou até o bairro Palermo.

Você sabe quem sou eu?

O bairro transmite segurança. Policiais aqui, ali, tranquilos, fazem do lugar um ponto estratégico para quem quer sossego e bons ares de uma Europa que construiram lá. Há quem diga que é uma afronta comparar Buenos Aires com Paris. Há quem diga que é uma Paris há 3 horas de São Paulo. Como ainda não emiti meu bilhete para Paris, repito, ainda, não posso comparar. 

Entre ruas tranquilas, lojinhas e hermanos, estava o Hostels Suites Palermo que escolhemos. É um dos inúmeros albergues low cost, low fare credenciado no Hostelling International, mais conhecidos por nós como Albergues da Juventude. Local onde você mesmo se serve no café da manhã, lava sua louça, junta o guardanapo na sua mesa, o reduto de descolados atende a necessidade de quem está no pique de rodar a cidade como turista de primeira viagem e voltar no fim da noite quebradasso de tanto andar, comer, fazer fotos. 

Fachada do albergue. Casarão antigo...

Bem-vindo! Welcome! Salut! Willkommen!

Com domitórios onde você, o escandinavo, o francês, o norte americano dividem o mesmo banheiro, ou com quartos e banheiro privativo – no nosso caso – as camas tem colchão bom, chuveiro quente e lockers para guardar as suas coisas sem medo de voltar e não ver mais a cor da sua mala. 

Sala de refeição - Crédito: Hostelling Intl

Consegue escutar a sinfonia de roncos? Crédito: Hostelling Intl

Pobre porém limpinho - Crédito: Hostelling Intl

Vale a estrutura e o que se oferece, entre eles café da manhã simples com café, suco, chá, 1 tipo de pão e frutas, internet Wi-Fi, informções turísticas e um papo legal com gente como você, que está ali pra fazer amigos e arrumar companhia para a programação que te espera na capital do Tango. Sobre isso, no próximo post. 

Hostels Suites Palermo 

Endereço: Charcas 4752
Buenos Aires – Argentina
Tel. (5411) 4773-0806

Info@hostelsuitespalermo.com

Exemplo: 4 diárias para 2 pessoas – simulei para abril/2010 

2 camas em dormitório e banheiro COLETIVOS, lençóis, café da manha: US$100 

2 camas em quarto e banheiro PRIVATIVO, lençóis e toalhas, café da manhã: US$183 

É preciso se cadastrar no Hostelling International para poder usar os albergues. É simples e a anuidade é barata. Clique aqui e, antes de tudo, faça sua carteirinha nacional ou internacional. 

😉

Restaurant Week – comer bem sempre na moda

Acontece desde 01/03 e vai até 14/03 os dias de prazer máximo de quem aprecia a boa gastronomia. Salvos os muitos conceitos do que de fato significar “comer bem”, a São Paulo Restaurant Week dá a chance de apreciar e conhecer os restaurantes que estão associados nessa temporada do primeiro semestre de 2010. São 200 casas com suas especialidades oferencendo entrada, prato principal e sobremesa por R$ 27,50 no almoço e R$ 39 no jantar (sem bebidas e taxas). Saiba você que esses preços estão abaixo do que o paddrão desses restaurantes significam.

Apostei no Shimo, casa de gastronomia nipo-peruana, no Jardim Europa. Acompanhado da @gifrasson iniciamos com finas fatias de pescado com ají de manga verde e broto de feijão.

Tiradito: marinado

Para o prato principal fomos, ela de peixe grelhado com mel e gergelim, com purê de batata e mandioca com ají amarillo, e eu de sushis que levavam salmão, acelga (não torça o nariz 🙂 ), caviar de beringela e muito capricho.

Caprichado, não?

Você curte gengibre?

Por mais que o “arroz de festa” dos cardápios, o petit gâteau, possa cismar a nossa crítica gastronômica Constance Escobar, juramos de pés juntos que esse do Shimo foi digno de ser mandado pra dentro sem pestanejar. O “bolinho” estava com textura de brownie, sabe como? Ah, e o sorvete não é Freddo, dos nossos hermanos argentinos, mas é de laranja e bem saboroso.

#ôentendidodegastronomia

O que importa é que a Restaurant Week nasceu há 17 anos em Nova York e está se espalhando pelo mundo. Aqui no Brasil, em 2010, acontece em SP e Vitória (01 a 14/03), Rio (10/05), Recife (15 a 30/03) e Brasília (data não anunciada).

Já tenho uma indicação para essa semana, o Casinha de Monet, em Pinheiros. Acho que meu almoço na quinta-feira será lá. Topa? Programe-se também para curtir alguma dessas opções no final de semana. Antes faça sua reserva porque estão disputados.

Shimo

Rua Jerônimo da Veiga, 74 – Jardim Europa

Telefone: (11) 3167-2222

😉


Siga-me no Twitter

Erro: Twitter não está a responder. Por favor espere alguns minutos e recarregue esta página.