Posts Tagged 'Rota Ecológica'

Especial: Pousada Patacho na Condé Nast Johansens

É com prazer que escrevo esse post especial!

A aconchegante Pousada Patacho, no norte de Alagoas, foi reconhecida pelo guia de viagem Condé Nast Johansens atendendo a critérios de seleção que englobam serviços de qualidade, exclusividade e luxo. O Condé Nast Johansens iniciou sua atividade na França e é irmão das revistas Vogue, Condé Nast Traveler, Vanity Fair e de outras desse mundo abastado.

Acomode-se

Por se enquadrar nesses itens, que na minha opinião garantem a satisfação e a experiência – valores máximo, e também esbanjar carisma, a Pousada Patacho passa a fazer parte desse seleto grupo de hotéis e restaurantes espalhados por mais de 50 países. Será a menor pousada a compor essa lista de grandiosos nomes da hotelaria internacional.

Eu avisei a você que o Christian, francês proprietário, tinha caprichado. Estar no Condé Nast Johansens não é pra qualquer um.

Reveja o post e as muitas fotos da Pousada Patacho clicando aqui.

Aproveite!

🙂

Último: Férias – Rota Ecológica – Praia do Patacho/AL

Saindo da Praia do Toque fui em direção a Praia do Patacho, no município de Porto de Pedras/AL. Não é a aldeia indígena patachó. É Patacho, sendo “ta” a sílaba tônica.
Em 10 minutos, passando pelo povoado, cheguei e entrei sem bater. Não! Não por ser intrometido – ou até um pouco, risos – mas por me sentir em casa. Sim! Por ser um lugar onde você esquece que está fora de casa, tamanho é o aconchego, a tranquilidade e a liberdade na Pousada Patacho.
Ela foi inaugurada em dez/07 com todos os 3 apartamentos ocupados e é única na praia. Enquanto hospedado só via os jangadeiros e pescadores que moram por ali e sobrevivem da pesca. Christian, um francês que saiu da França, morou no Brasil, no México e depois de um tempo voltou para a nossa terra, investiu o seu tempo para realizar o sonho de morar num paraíso. Ele conseguiu e, hoje, divide isso com aqueles que buscam a simplicidade na elegância e na sofisticação. Posso dizer isso porque essa foi a segunda vez que fui à Patacho, e confesso que quero voltar muitas vezes.
Uma amiga minha diz que é a falsa simplicidade de um lugar rústico-chique. Desde tijolos de barro feitos na região à objetos trazidos da terra natal do Christian. A pousada tem os ares do sul da França, diz ele. Um pouco da Provence no Brasil. Você quer mais o que?! Eu, nada, somente curtir as fotos que revejo sempre.
Pousada Patacho

Pousada Patacho

Recepção

Recepção

Recepção

Recepção

Visão geral

Visão geral

Visão geral

Visão geral

Descanso

Descanso

Entre o tempo de disposição de uma nova peça de decoração e a escolha de plantas exóticas que complementam a pousada, o Christian consegue encontrar maneiras de deixar a pousada melhor. O pergolado que anteriormente permitia a entrada de luz e calor na área de descanso, mas que também limitava o uso do espaço em caso de chuva, foi substituído por uma gazebo no mesmo estilo da pousada. Quem não viu antes não diz que foi feito depois da construção da pousada. Tudo é lindo e compõe perfeitamente a proposta da pousada. Um estilo de vida!
Antes...

Antes...

...e depois

...e depois

De fato um extremo bom gosto

De fato um extremo bom gosto

Os apartamentos Estrela, Lua e Sereia são exclusivos. Ninguém te vê e você também não vê ninguém. Somente o mar. Ah, o mar! Azul turquesa. Da cor das janelas!
Sereia

Sereia

Deck Sereia

Deck Sereia

Deck Sereia

Deck SereiaDescanso garantido

Será que vale a pena levantar?

Será que vale a pena levantar?

Falsa simplicidade

Falsa simplicidade

Banheiro Sereia

Banheiro Sereia

Varanda

Varanda

Recebendo e fazendo amigos

Recebendo e fazendo amigos

O cardápio estruturado por um chef francês é materializado pelo chef Dudu, que conduz o restaurante da pousada. Ele arrasa na harmonização das texturas, aromas e sabores. Escolhi alcachofra, peixes, camarões, lagostins e massa e não me arrependi em nenhum deles. Mergulhei nas sensações e hoje luto contra a balança…huhuhu.
Restaurante

Restaurante

Restaurante

Restaurante

E o momento comilança começa...

E o momento comilança começa...

Couz-couz

Couz-couz

Massa ao molho de camarões e limão

Massa ao molho de camarões e limão

Badejo recheado com siri desfiado

Badejo recheado com siri desfiado

Moqueca mista

Moqueca mista

Peixe ao molho de pistache, couz-couz e batatas

Peixe ao molho de pistache, couz-couz e batatas

Filézinho de frango, arroz, tomate e fritas

Filézinho de frango, arroz, tomate e fritas

O auxílio na cozinha é por conta das queridas meninas Vika e Morena. Cada uma com sua especialidade e delicadeza consegue cativar o hóspede e fazer tudo se tornar mais gracioso.
Decoração by Vika e Morena

Decoração by Vika e Morena

Mousse de capim santo/erva cidreira

Mousse de capim santo/erva cidreira

Maria Sem-Vergonha: deixou de ser figurante para protagonizar nessa cena

Maria Sem-Vergonha: deixou de ser figurante para protagonizar nessa cena

Composição

Composição

Luz e sombra na medida certa

Luz e sombra na medida certa

Vespertinos

Vespertinos

Pássaros-Reais? Sim, por reinarem mesmo sem vida!

Pássaros-Reais? Sim, por reinarem mesmo sem vida!

Français: Sirene

Français: Sirene

E lá está a ordinária, ou melhor, sem-vergonha!

E lá está a ordinária, ou melhor, sem-vergonha!

É foooogo

É foooogo

Caminhei atééééé lá no final da praia e depois esperei a lua nascer ao pé do mar. Espetáculo a parte.
Praia do Patacho = paraíso

Praia do Patacho = paraíso

Vendo a vida passar, até porque a praia é deserta!

Vendo a vida passar, até porque a praia é deserta!

Um guia local me levou ao farol de Porto de Pedras. Muitas pessoas dependem do farol, por isso a Marinha o mantem ativo e muito bem cuidado. Tomei coragem e subi os muitos lances de escada, onde os degraus são barrinhas de ferro, e cheguei no topo para contemplar a vista do final de uma tarde um pouco nublada. Mesmo assim pude ver como Deus é bom.
Vista do farol

Vista do farol

Sapeca

Sapeca

Retornando à Terra

Retornando à Terra

Os preparativos para o retorno foi atribulado pois na madrugada do último dia choveu 50% do que teria que chover no mês. Fiquei ilhado e não pude retornar para Recife a fim de pegar o voo para SP. A ajuda do Christian nesse momento foi essencial, pois fiquei pendurado no telefone da pousada até saber que a remarcação pela TAM não valeria a pena. R$ 700 além do que eu já havia pago…sem condições. Comprei um bilhete aéreo na Azul para partir 2 dias depois e por Maceió, isto é, fiquei até o último minuto no paraíso para depois voltar à Terra. Cheguei em SP troquei de roupa e fui para o escritório. Felizão da vida. 
Felizmente a natureza, o clima, as praias, as pousadas e principalmente as pessoas são o que compõem o que nós temos de mais especial, a arte da hospitalidade!

4o: Férias – Rota Ecológica – Praia do Toque/AL

A viagem estava completando 8 dias. 

Partindo de Natal desembarquei em Recife/PE  usando um voo da Gol. Inacreditavelmente R$ 99 para ir e R$ 49 para voltar. Baratésimo. Mala na mão e foco para encontrar o guichê da locadora de carros Unidas. Eu iria – entenda bem, “iria” –  retirar o carro que previamente havia solicitado. A taxa promocional acordada era referente a uma aliança entre a Unidas e a Gol. Quem viajasse Gol teria 50% de desconto na tarifa da locação do veículo. Estava felizão até que: _Desculpe, senhor. Sua habilitação não está sendo aceita pelo nosso sistema, disse a atendente.   😐   _Ué, como não? Respondi eu com aquele friozinho na barriga. Olhava para o relógio e pensava que teria mais 3 horas de estrada até meu destino final. Desfecho: eu estava com a minha habilitação vencida mas dentro daquele prazo de 30 dias de renovação. Indenpendente de poder dirigir ou não, o sistema da Unidas não aceitou e eu me fer-rei. Tive que correr no guichê das concorrentes para achar uma tarifa que fosse a menos pior e traumática. A Localiza fez um desconto e eu fiquei com um carro deles. Não me pergunte quanto eu paguei porque não gosto nem de me lembrar…risos. Ah, um lembrete: andemos sempre com nossos documentos em ordem.

Pedi orientação de como pegar a BR-101 em direção a Alagoas e fui. Não conheci nada de Recife. Quero voltar lá com calma para aproveitar o que ela tem de melhor para oferecer. Sei que são muitas coisas.

Muito bem. Após 180km de distância e quase 3 horas de viagem com direito a travessia em uma balsa pequena, R$ 8, cheguei na Praia do Toque, em São Miguel dos Milagres.  Se quiser ir para lá via Maceió, também dá certo e é beeeem mais perto.

Mesmo já estando escuro relembrei da minha passada rápida por lá em 2008. Na ocasião me hospedei na Pousada da Amendoeira e acertei em cheio. É lindona e cheia de detalhes; além do atendimento perfeito da equipe liderada pelo casal Tsarri e Jessy. Até queria dar um pulo lá para vê-los, mas estavam em viagem.

Dessa vez escolhí a Pousada do Cajú para me hospedar. E mais uma vez acertei! José Carlos e Alírio sabem a medida certa e sem pestanejar estão ao seu dispor para o que você precisar.

No melhor estilo “casa de fazenda” meu momento “Tássia” continuava. _A propósito, uma água de coco, por favor!

Apartamento Tamanduá Pousada do Cajú

Apartamento Tamanduá Pousada do Cajú

Boas vindas: licor de cajú

Boas vindas: licor de cajú

Queen size...ê maravilha!

Queen size...ê maravilha!

Vida boa!

Vida boa!

Relax numa sessão de filmes...

Relax numa sessão de filmes...

Cida, minha amiga diz:_Secador de cabelos é o mínimo que um hotel tem que ter! Risos...nem na praia a mulé fica sem fazer escova na cebeleira. Tem gente que nasceu pra ser rico, né Cidoca?!

Para as amantes de uma escova na cabeleira, a Pousada do Cajú tem secador de cabelos...risos.

Bangalô luxo para quem quer mais espaço e mais luxo

Bangalô luxo para quem quer mais espaço e mais luxo

O Zé e o Alírio estão ampliando a Pousada e contruindo mais 2 nesses padrões

O Zé e o Alírio estão aumentando a capacidade da Pousada e acabaram de inaugurar mais um bangalô nesses padrões

A louça é pintada à mão...chique demais!

A louça é pintada à mão...chique demais! Ah! Esse tem hidromassagem!

Entre dias de sol e chuva eu não quis curtir somente os lençóis “não sei quantos fios” do Faraó “sei lá que nome”…risos. Quis aproveitar do jardim…

Jardim da Pousada do Cajú

Jardim da Pousada do Cajú

Varanda

Varanda

Banco-mesa

Banco-mesa

Ao redor...

Ao redor...

Momento de relax...espaço para massagem

Momento de relax...espaço para massagem

Agende antecipadamente e uma massagista vai deixar você mais relaxado ainda...

Agende antecipadamente e uma massagista vai deixar você mais relaxado ainda...

…da piscina e do bar da piscina…

Piscina

Piscina

Eeeee...

Eeeee...

Bom demais!

Bom demais!

…e do cardápio apetitoso materializado pelo chef Radiola, a começar pelo café da manhã. Peça e trarão: iogurtes, queijos na chapa, tapioca e frutas da região.

O restaurante foi inaugurado há menos de 1 ano

O restaurante foi inaugurado há menos de 1 ano

Lateral do restaurante...detalhes.

Lateral do restaurante...detalhes.

Café da manhã

Café da manhã

Mise-en-place

Mise-en-place

Depois de muito comer peixe, camarão e lagostim resolvi pedir uma carne: parmeggiana espetacular.

Depois de muito comer peixe, camarão e lagostim resolvi pedir uma carne: parmeggiana espetacular.

Arroz, polvo e lagostim...putz!

Arroz, polvo e lagostim...putz!

Lagostins e frutas grelhadas

Lagostins e frutas grelhadas

Além de aproveitar desse festival gastronômico, pude curtir uma espreguiçadeira e um bom livro. Pude também pegar a bicicleta e tentar dar uma voltinha na praia. Caramba! Tem que ter uma mega força para pedalar na areia. Deixei a bicicleta de ladinho, como quem saiu de bicicleta para deixar ela “ali” em vez de pedalar, e fiquei vendo aquele marzão…espetacular!
Saída para a praia...

Saída para a praia...

Descanso

Descanso

Coisa boa...

Coisa boa...

Praia do Toque

Praia do Toque

Praia do Toque

Praia do Toque

A pousada vizinha é a Pousada do Toque. Seus proprietários são pioneiros na região nesse ramo de negócio. A Pousada tem uma estrutura diferenciada, pois seu público busca esse diferencial.  Tem quadra de tênis, loja com artigos da região, sushi-bar, apartamentos com ofurô, piscinas privativas, salão de beleza e uma adega para ninguém colocar defeito. Fui conhecer e experimentar um peixinho…
Mix de folhas com manjericão e hortelã, mussarela de búfala e um pãozinho quentinho...nham!

Mix de folhas com manjericão e hortelã, mussarela de búfala e um pãozinho quentinho...nham!

Badejo ao molho de laranja e gengibre guarnecido de legumes ao vapor...fantástico!

Badejo ao molho de laranja e gengibre guarnecido de legumes ao vapor...fantástico!

No quarto e último dia de Pousada do Cajú fez um sol fortíssimo. Pedí para um jangadeiro me levar até as famosas piscinas naturais do Toque. Com a água batendo no meu queixo conseguía ver os meus pés…loucura, loucura, loucura!
Passeio de jangada Praia do Toque

Passeio de jangada Praia do Toque

Um pouco antes da barreira de corais

Um pouco antes da barreira de corais

Percebe a distância entre a praia e os pescadores e o nível do mar? Lindo demais!

Percebe a distância entre a praia e os pescadores e o nível do mar? Lindo demais!

A água é morna...ê vidão!

A água é morna...ê vidão!

Tudo maravilhoso. Curtí cada momento e conhecí pessoas muito legais. Vale cada segundo nesse lugar. Quero voltar de novo. Isso mesmo, será a terceira vez. Risos…

Depois de 4 dias de sossego e lazer juntei as minhas coisas e fui em direção à extensão da minha casa no nordeste, ou seja, Pousada Patacho! Um show de bom gosto e sofisticação. No próximo post!

3o: Férias – aos redores da Pipa/RN

Não só de pousadas aconchegantes e pratos apetitosos vive um turista, mas também de passeios pela região escolhida e de bate-papo com pessoas que se conhece durante a viagem. É bom demais poder aproveitar cada minuto à sombra de uma árvore ou à beira do mar.

Qualquer dia é dia para caminhar pela Av. Baía dos Golfinhos, ver as lojas simpáticas e entrar em uma ruazinha que dá acesso à Praia do Amor. Foram 10 minutos de caminhada e…

Praia do Amor
Praia do Amor

…desci por uma escada feita na própria falésia e fiquei a manhã toda curtindo um sol maravilhoso, uma espreguiçadeira, um guarda sol e uma água de côco. R$ 5. Ah, um papo com um holandês que estava ao meu lado foi bem legal. Ele só estava um pouco assustado com os 2 aviões-caça que sobrevoavam por ali em busca de corpos do trágico acidente com o avião da Air France. Mas confesso que o mar chamava mais a atenção. Que coisa linda!

Praia do Amor
Praia do Amor
Escada na falésia
Escada na falésia
Praia do Amor
Praia do Amor

Como o tempo fechou e já era hora do almoço, subi para Pipa e  fui para a Pousada Sombra e Água Fresca. Tinha visto essa pousada pela internet e na revista Viagem e Turismo e quis conhecer e almoçar lá. Um camarão divino e uma pousada linda. Só não me agradou a piscina com pastilhas de vidro pretas. Na minha opinião é meio estranho você nadar em uma piscina preta. Enfim, muita gente gosta. A pousada e os jardins são lindos. O cardápio em 3 idiomas é de primeira!

Mezanino - Sombra e Água Fresca
Mezanino – Sombra e Água Fresca
Camarão com alcaparras, arroz integral e suco de acerola
Camarão com alcaparras, arroz integral e suco de acerola

Voltando para a Toca da Coruja parei no Café Kanimambo. Um cafézinho Nespresso com um cookie cai tão bem que voltei lá mais 2 vezes. Em uma delas experimentei o alfajor que a argentina Helena, proprietária do café, prepara. Com aspecto de cequilho ele é recheado com dulce de leche magnífico. Huuum, aquele gostinho de limão também é show! Gracias, chica, y mucho gusto en conocer-te!

Nespresso e Cookie no Kanimambo
Nespresso e Cookie no Kanimambo

Descanso, piscina, jantar…tudo no nível da Toca, que para o dia seguinte agendou um passeio pelas praias do sul do estado. Às 9h da manhã, Caio, guia local, com seu filhinho mega simpático e com um casal de argentinos, estava com uma Hilux 4X4  na recepção me esperando. R$ 65. A aventura incluia as vistas mais lindas da viagem. A Praia do Amor de outro ângulo…

Passeio 4X4
Acima do mar
…o Chapadão, a Praia das Minas, com seus ninhos de tartaruga marinha (buggy nao pode mais passar pela praia, pois na época de eclosão, quando as tartarugas botam seus ovos, o buggy pode matar as tartaruguinhas mesmo antes delas sairem dos ovos – excelente medida de preservação).
Chapadão

Chapadão

Paraíso

Paraíso...

Sibaúma: tome uma água de côco e não pague nada por ficar nessa espreguiçadeira

Sibaúma: tome uma água de côco e não pague nada por ficar nessa espreguiçadeira

 Na Barra do Cunhaú pegamos um barco que nos levou para uma praia linda. Na travessia, paramos e pulamos na água. Delícia! Acho que a parte mais difícil da minha viagem foi subir de volta no barco para continuar a travessia…risos. Haja braço! Que desafio!

Barra do Cunhaú
Barra do Cunhaú
Barra do Cunhaú
Barra do Cunhaú

Curtimos a Praia da Barra do Cunhaú e voltamos para o povoado, com muitas casa de veraneio – no verão bomba -, para almoçarmos no Solimar, um restaurante muito agradável, espaçoso e com estrutura suficiente para atender os turistas que estão desde cedo passeando por ali. Um peixe e uma macaxeira (mandioca) frita é o que há de melhor! Ali por perto é uma escolinha de Kite Surf, que funciona no verão. Fiquei sabendo que o filho de um pescador se empenhou, aprendeu e hoje dá aulas. O menino é super novo e disse estar realizado fazendo isso. Que legal!

Ok, nosso retorno foi pelo meio de um canavial. Trecho muito interessante da viagem, pois chega-se a uma vila que se chama Vila Flores. Casas antigas e igreja bonintinha chamam a atenção. São da época da escravatura. Loucura!

Igreja de 1863 - Vila Flores
Igreja de 1863 – Vila Flores
Casarão que se negociavam os escravos

Casarão que se negociavam os escravos

 Terminando o passeio fomos para a brincadeira do Sand Board. Sobre uma prancha de madeira (o shape = corpo da prancha, estava novinho) a “pessoa aqui” tentava ficar em pé. Tentei descer em pé duas vezes e depois sentado. De qualquer maneira entrou areia até no buraco do nariz…meu Deus! Que máximo! A segunda e última dificuldade da viagem: subir a duna! Sei lá, acho que uns 120 passos duna acima! Ai!

Sand Board

Sand Board

Sand Board

Sand Board

Sacudimos a poeira e fomos para o último momento do dia: Lagoa das Guaraíras. O must é ver o por do sol, mas como estava um tempo meio fechado, não conseguimos ver nada. Sem problemas, a creperia que tem lá é bacana e, como o dia tinha sido fenomenal, compensou.
Lagoa das Guaraíras

Lagoa das Guaraíras

Bom, Pipa foi assim! Simples, humilde e maravilhosa! Um dia fazia sol, outro chovia. Eu lía, comia e me divertia. Fui nadar na Praia do Madeiro, ver o golfinhos e conhecer os restaurantes que tinham ficado abertos mesmo na baixa temporada.
Oportunidade eu terei de voltar para aproveitar do cardápio do Tapas, do Pacífico e do poderoso e estrelado Camamo (ele não estava aberto no dia que havia me convencido em pagar os $$$$$ para conhecer o menu degustação de horas e horas). Mais um motivo para voltar para lá.
Moqueca no Panela de Barro (tem coentro...argh!)

Moqueca no Panela de Barro (tem coentro...argh!)

Margherita na Papillon

Margherita na Papillon

Praia do Porto

Praia do Porto

Praia do Madeiro

Praia do Madeiro

Praia do Curral Baía dos Golfinhos

Praia do Curral Baía dos Golfinhos

Me despedi do pessoal da Pipa depois de conhecer a balada deles. Um dos lugares onde o povo se reune é o Império do Sol. É bem agradável com um rockão louco rolando solto. Conheci um pessoal bem legal!
Depois de 6 dias peguei o carro e voltei para Natal/RN. Devolvi para a locadora com o tanque cheio e não tive nenhum centavo de desconto por isso. A justificativa foi que já haviam descontado o meu cheque. É mole? Podería ter sido melhor!
Enfim, tudo foi show! Agradeci a Deus por cada minuto lá e pedi que meu voo para Recife/PE fosse tudo bem. E foi! Cheguei, aluguei um carro e…desci para a Rota Ecológica de Alagoas! No próximo post!
🙂

Siga-me no Twitter