Archive for the 'Maranhão' Category

PhotoLéo: Lençóis Maranhenses

Ah, os Lençóis! Te envolvem, te prendem, fazem você perder calorias!
 
Eu deveria começar mostrando Barreirinhas, cidade base para quem vai visitar o Parque Estadual dos Lençóis Maranheneses, mas não tem como não começar com tantas imagens dignas de “Add to Favorites”.

Depois de 1 hora sacudindo por uma estrada de areia e sem soltar a mão do PQP da 4X4, uma discreta subida fortalece as pernas e...

Aí estão as "magniíficas-quão-magníficas" dunas!

De agosto a setembro o parque recebe muitos turistas, que procuram as lagoas nas melhores performances: cheias!

Roupas leves, protetor solar, chapéu, lenço, câmera fotográfica. E keep walking...haja panturrilha!

O basicão é dividir o passeio em 2 dias. As pousadas locais indicam os guias credenciados. As lagoas perenes são a sensação. Proteja tudo da areia e do vento se jogue. A areia que entrar na sunga, depois você tira no banho. Rá!Aquela areia rasteira que o vento leva garante uma caminhada sem queimaduras na sola do pé. Chinelo? Eu preferi um par de Crocs. De boa na lagoa!

Os grupos normalmente chegam para o passeio no começo da tarde e vão até o por do sol, que quase pode ser alcançado com as mãos.

Entre poses, fotos manjadas e um cenário sephia, as dunas se fazem e desfazem.

É incrível!

 

Clique em cada foto! Salve como plano de fundo enquanto você não confere ao vivo e a cores, ou melhor, em sephia. 😉

PhotoLéo: São Luis/MA

Para 3 dias em São Luis, fiz muitas fotos. Vinícius Raupp, do Inquietos, e eu rodamos o centro histórico num calor escaldante de quase 40 graus para visitar museus, conhecer prédios, praças e o doce, quão doce, guaraná Jesus. A capital maranhense fica impressa aqui, em fotos.
 
Palácio dos Leões – Governo do Estado

 

Galeria das Mercês – piso superior guarda presentes que o Sarney ganhou ao longo de toda a sua carreira política.

Museu da Arte Popular - Festa do Bumba-meu-boi, desde o século XVIII, Festa do Divino Espírito Santo, História das Casas das Minas estão por todos os cômodos do prédio tombado como patrimônio histórico.

Construção em mau estado de conservação. Segundo moradores, com a caçassão do último governador a manutenção do Centro Histórico ficou totalmente comprometida. É o que o povo sente.

Entre ruas e vielas, prédios são ocupados pelo comércio, pelo Estado e por pessoas que não tem casa. Fique assustado ao ver roupas, toalhas e cuecas estendidas nas sacadas e portas dos prédios abandonados.

O SENAC tem um restaurante aberto ao público. A conservação do prédio garante alívio de que alguém pensou na manutenção da história.

Quando a maré está baixa, toda a água escoa para o mar. A vista é da parte mais nova da cidade, ligada por uma ponte ao Centro Histórico.

Arte maranhense. Cores onde grande parte já perdeu o viço.

Olha ele: no Maranhão não foi a água que foi transformada em vinho e sim um xarope em refrigerante. Propriedade da Coca-Cola hoje o Guaraná Jesus é um dos mais vendidos no estado. Doce, rosa e refrescante. O ornamento da foto é garantido pela Dona Vanda, a dona do bar e promoter do santo.

Arte portuguesa, esses azulejos revestem fachadas de prédios. Nas lojas você pode comprar réplicas tão lindas quanto.

 Sendo honesto gostei muito da cidade, mas sendo mais honesto ainda tanta beleza é comprometida quando você espera por qualidade no serviço ao turista. Nos próximos posts trago a saga por um bom hotel e pela busca de um bom peixe na brasa. Encontramos, mas foi difícil.


Siga-me no Twitter

Erro: Twitter não está a responder. Por favor espere alguns minutos e recarregue esta página.